LineUP entrevista Rafael Ortolan, 3º Colocado no BSOP Millions 2017 e prepara surpresa para o final. Confira!

O ano de 2017 vai chegando ao fim, mas com certeza deixando muitas emocionantes histórias para o Poker nacional. Esse foi mais um ano onde o Poker mostrou toda sua força, seu crescimento e a forma incrível com que virou uma paixão nacional. Nós do LineUP ficamos muito felizes de participar desse momento de forma tão intensa e presente.

E para coroar nosso trabalho constante em ajudar as pessoas a alcançarem seus objetivos dentro do mundo do Poker, tivemos o prazer de ter um aluno tirando 3º lugar no BSOP Millions e levando para casa quase meio milhão de reais. Na entrevista abaixo você pode conhecer um pouco mais sobre Rafael Ortolan e sua trajetória no jogo até esse monstruoso resultado

  

Para gente começar a entrevista fale um pouco sobre você, quantos anos tem, onde mora e o que faz atualmente?

“Tenho 21 anos, sou do interior do Mato Grosso, Campo Novo do Parecis. Sou empresário. Com o Poker eu comecei há dois anos, desde o início eu comecei estudando, quando comecei com o jogo já procurei me informar melhor, ir atrás de conhecimento, sempre procurando ter os melhores como referência.

Já fui atrás de coachs e cursos que me ajudaram muito mesmo! Meu primeiro ano foi excepcional, não tenho do que reclamar, tive muitas vitórias, muitos bons resultados, consegui cravar alguns torneios nesse meu primeiro ano jogando com jogadores bem experientes aqui do estado e da região e a partir da minha primeira cravada foi da onde veio a minha maior inspiração, fui atrás de conhecimento e não parei de estudar. A partir daí, o jogo começou a fluir, sempre me mantendo entre os melhores, sempre me mantendo com bons resultados, e isso me incentivou muito a continuar na estrada.

2017 é o segundo ano (jogando poker) e esse ano não foi como ano passado, no decorrer do ano, digo. Tive um começo do ano muito bom onde cravei um High Roller e depois desse High Roller, só traves… Consegui estar sempre em ITM, me dediquei um pouco mais ao cash game também nesse ano onde tive bons resultados e, do meio do ano para cá, me aprofundei ainda mais nos estudos, comecei a fazer bastantes reviews de mãos e me preparei bastante, desde o início do ano vim focado para o BSOP Millions, sempre estudando e com foco principal no BSOP Millions mesmo.

Ainda não sou profissional, mas vou correr atrás agora para tentar me profissionalizar pra entrar em 2018 já indo atrás da minha carreira. E vamos lá, 2018, se Deus quiser, vai dar tudo certo.”

Foi a 1a vez que jogou o BSOP?

“Não, esse foi o segundo BSOP que eu participo, participei do Millions ano passado e esse agora.”

Sobre o torneio, em que momento pensou “Agora vai!”? Rolou alguma mão decisiva ou foi construindo seu stack aos poucos?

“Então, não tem nenhum pot decisivo, uma mão decisiva, um pot muito grande onde eu consigo construir o meu stack rapidamente, sempre foi de pouco a pouco, sempre remando ali, como se diz. O interessante desse BSOP pra mim no Main Event é o seguinte:

Todos os dias, dia 1, dia 2, dia 3 até o dia 4, todos esses dias eu consigo construir um stack muito confortável durante todo o dia e nas últimas mãos eu sempre acabo perdendo bastante ficha. No dia 3 para o dia 4, se não me engano, tem uma mão que eu abro JJ e o Kowalski me “3beta”, quase all-in, deixa 5bb para trás, aí todo mundo folda eu vou de all-in e ele dá call, ele tem 44 eu tenho JJ, ele segue e eu perco um pot de 1,8kk fichas, logo depois eu perco mais um pot de 2kk onde eu tenho duas pontas, duas overs e não bate, isso tudo no final do dia. Eu acho que até não dá pra reclamar sabe? Se tivesse uma hora pra escolher pra eu perder essas fichas, eu acho que teria escolhido realmente no fim desses dias, pois aí eu não tiltava, consegui sempre manter a minha cabeça no lugar, passava um pouco e acabava o jogo, ia pro hotel, conseguia me concentrar e voltava totalmente renovado.

Chegava no outro dia, eu conseguia sentar 100% focado, mentalizado, recuperar aquelas fichas e construir um stack novamente muito saudável. E ai todas as vezes que eu sentava na mesa e conseguia jogar meu A game eu sempre pensava “Cara, é só continuar assim, sem tilt, manter a cabeça no lugar, focado que a gente chega lá.” e foi isso, tiveram alguns pots também onde eu blefo até river em posição e os colegas largam dando showdown, ganhando onde eu me sinto muito confiante e nisso eu mantenho meu A game, o jogo flui e a gente vai pra mesa final.”

Como foi a emoção de ter seu nome chamado ali na hora da mesa final? Acredita que conseguiu manter o seu melhor jogo nos momentos decisivos da FT?

“Ser chamado na mesa final do BSOP Millions é algo indescritível, é a realização do sonho de qualquer pessoa, de qualquer jogador que sabe a grandeza que esse torneio é. Logo que me chamaram parecia que eu estava em um sonho só que na hora que eu sentei na mesa já coloquei o pé no chão e falei “Não, agora é a hora de trabalhar, focar mais do que nunca e vamos pra cima, com muita fé, muito confiante e muita alegria no coração.” Cheguei na mesa short stack, eu era o short stack da mesa, logo no início eu consegui a dobra e a partir daí consegui voltar pro jogo, ter jogabilidade e fazer o meu melhor.

Consegui sim manter meu A game nos momentos mais decisivos, sempre jogando mão após mão sem deixar com que mãos passadas interferissem na mão atual  ou nas próximas mãos e sempre com muito foco, cabeça no lugar e dando sempre o meu melhor.”

Você foi aluno do LineUP 2.0 certo? Como avalia a importância do curso na sua evolução? Você se deparou com algumas situações discutidas durante o curso no torneio?

“Sim, fui aluno do LineUP. Com certeza esse curso teve grande importância, foi um diferencial nesse meu torneio, me deparei com várias situações discutidas durante o curso, principalmente sobre blocking bet, squeeze, usei muito dessas ferramentas onde eu conseguir aprimorar bastante com o curso e, com certeza, o curso teve grande importância mesmo nesse torneio.”

Quais são seus planos futuros em relação ao Poker?

Bom, pretendo me profissionalizar agora em 2018, tive algumas propostas de alguns times, pra conseguir pegar mais experiência e sempre estar em constante evolução porque o jogo não para, você não pode parar no tempo, tenho muita fome de conhecimento, sou novo, sempre sempre sempre quero estar estudando, sempre estou estudando, sempre buscando mais informações, sempre tentando melhorar meu jogo e com certeza esse ano de 2018 vai trazer muitas vitórias, muitas felicidades e com fé em Deus vai dar tudo certo.”

 Agora a pergunta que todos sempre querem saber, o que pretende fazer com a nota preta (R$446k) que recebeu e como foi a comemoração aí em MT dos amigos e da família?

Esse dinheiro eu vou aplicar da melhor forma possível, vou fazer alguns investimentos seguros e que me tragam retornos lucrativos, parte dele será como meu bankroll para que eu possa jogar tranquilo, confortável os próximos torneios e investir na minha carreira também.

A comemoração aqui na minha cidade foi incrível, não só da minha cidade como no Estado, quando eu cheguei na capital eu já fui recebido com muitos aplausos e a galera me parabenizando, me dando muitos abraços. Foi uma festa muito linda, na minha cidade também, quando eu chego na minha casa está todo mundo me esperando com muita alegria, muita felicidade no rosto, foi uma emoção indescritível mesmo, uma coisa que só quem passa que sabe, mas felicidade é o que resume tudo.

Para encerrar, qual dica você deixa aqui para turma que está começando e sonha com uma mesa final e uma premiação como essa?

“A dica que eu deixo pra quem está começando e sonha em fazer uma mesa final como essa é que sempre estejam em busca de evolução constante, sempre com muita fome de conhecimento, muita fome de sabedoria, sempre procure evoluir o seu jogo dia após dia, nunca deixe aquele pensamento de que você é bom o bastante e que não precisa estudar agora, esse tipo de pensamento. Isso só vai te atrasar isso só vai te levar pro fundo, sempre pense, sempre seja confiante, tenha autoconfiança. Nunca pense “Ah, será que eu consigo?”, pense assim “Eu consigo, eu sou capaz e eu vou atrás!” mas para isso saiba que você precisa realmente ir atrás, você precisa se esforçar, você precisa trabalhar, você precisa estudar pra isso. E nunca deixe de sonhar, sempre sempre sempre sonhe, se não deu a primeira vez, tente a segunda, se não deu tente a terceira, se não deu, tente a quarta e assim por diante, um dia você chega lá e será recompensado por todo o seu esforço, por todo o seu trabalho.”

Aproveitando a pergunta sobre o seu futuro no jogo, você quer entrar para o time do LineUP?

“Não tem como recusar uma proposta dessa, Raul Oliveira, Chenaud e Bruno Foster no comando é a realização de mais um sonho, chego a me emocionar de verdade. Até tinha conversado com o Chenaud, cheguei a jogar com o Chenaud uns dias lá e conversei com ele e tinha até brincado com ele “Ó vou esperar o convite” e pô, de verdade de coração, muito obrigado, com certeza, com certeza quero fazer parte sim do time e quero aprender e crescer, evoluir, junto com vocês. Pô, estou muito emocionado, me pegou de surpresa aqui irmão, obrigado, de verdade, de coração.”

A equipe LineUP Poker agradece Rafael Ortolan, que gentilmente concedeu esta entrevista por áudio.

É com muita alegria que damos às boas-vindas à Rafael ao time LineUP. Ele disse siiimm!

Agora, Rafael Ortolan é LineUP Poker!