Ensinamentos do Poker para a Vida

Todos nós, quando começamos a jogar Poker, nos encantamos pela competição, pelos desafios, pela adrenalina das decisões, por tentar ser o melhor, pelo dinheiro e por muitas outras coisas, não é mesmo?
Só que com o passar do tempo, tudo o que aprendemos para o “joguinho” vai mudando a nossa percepção sobre alguns aspectos da vida.
E é sobre isso que quero falar um pouco.

Paciência:
Acredito que essa seja uma das maiores virtudes que aprendemos (e quase que imediatamente) com o Poker. Afinal, sua falta leva os jogadores a cometerem erros que podem custar muito caro.

Vontade de evoluir sempre:
Outro ponto que faz com que os jogadores de Poker melhorem (profissionalmente e como pessoas) é a determinação em superar seus oponentes e transpor suas próprias limitações.

Capacidade de resolver problemas:
Cada mão no Poker é um mistério a ser desvendado e acabamos trazendo isso para o nosso cotidiano quando conseguimos lidar bem melhor com situações que demandam razoabilidade e parcimônia para serem solucionadas.

Agir sob pressão:
No Poker tomamos recorrentemente decisões sob pressão intensa. O reflexo disso no nosso dia a dia são tomadas de decisões de forma rápida e assertiva, independentemente da gravidade ou urgência.

Não desistir nunca:
Nas mesas quanto maior o desafio, maior o empenho em superá-lo. Para os jogadores, fugir não é uma opção. E mesmo que o desafio seja muito grande, deve ser encarado de frente. Na vida devemos encarar as “pedras no caminho” com o mesmo entusiasmo!

Em resumo, aprendemos a ser resilientes.

“A resiliência é a capacidade do indivíduo lidar com problemas, adaptar-se a mudanças, superar obstáculos ou resistir à pressão de situações adversas – choque, estresse, algum tipo de evento traumático, entre outros.”

O Poker é ou não é incrível?
Sou muito grato por viver do Poker e entender o quanto ele fez a minha vida melhorar!
Você também já sentiu na pele a influência do “joguinho”?

Lucas Horbylon

Não se compare com os outros.

No Poker é muito comum nos compararmos a outros jogadores e nos sentirmos melhores ou piores por conta disso.

O fato é que essa comparação não faz sentido algum, já que cada um tem a sua própria jornada com suas próprias experiências e, principalmente, com seu próprio esforço.

Nós somos seres completamente diferentes em praticamente todos os aspectos da vida e não teria como ser diferente no mundo do Poker.

Há aqueles que aprendem mais rápido, outros “grindam” mais, outros “hitam” logo cedo em suas carreiras e por aí vai… SOMOS SERES ÚNICOS.

Não estou dizendo que você não pode olhar a carreira de outra pessoa e se INSPIRAR. Você deve sim olhar para os outros e tentar aprender com as experiências, boas e ruins, daqueles que estão trilhando caminhos semelhantes aos seus. Contudo, ficar se lamentando porque não está no mesmo lugar do outro só irá te fazer mal e não ajudará em nada sua evolução.

Busque se inspirar nas qualidades positivas e nos métodos assertivos de pessoas que você admira e tente adaptar esses atributos a sua realidade, sempre respeitando o seu caminho e a sua individualidade.

A guerra é contra você mesmo, então se compare com o seu “eu” de ontem e siga o mantra “1% melhor a cada dia” que você, com certeza, chegará lá!


Lucas Horbylon

Fim de séries, fim de papo?

Claro que não!

Como acontece em qualquer esporte, após grandes campeonatos os atletas devem analisar toda a trajetória que percorreram durante os dias de competição.
Primero é necessário o descanso. O verdadeiro atleta está exausto depois de dias de pressão, disciplina e foco. Ele deu o seu melhor, então nada mais justo do que o recompensador descanso. E olha lá! Nada de descanso falso… do tipo “ficar deitado, mas com o pensamento a mil repleto de cobranças”. Relaxe e faça algo que realmente te recarregue as energias.

Depois de tomar fôlego é hora de analisar suas ações e resultados. Campeonatos mostram uma realidade que às vezes passa despercebida quando não estamos sob pressão. Você realmente estava preparado para competir? Estava na categoria correta? Conseguiu lidar com os desapontamentos ou com a euforia? Conseguiu ser um competidor equilibrado em todos os aspectos? Você irá notar que nessa análise pós torneios seus gargalos e atributos podem ficar mais evidentes! Então aproveite-se disso, independentemente se foi bem ou mal.

Descansou? Analisou? Então bora pra próxima! Ficar parado e estático só pode te levar para o caminho que a gravidade indica! Para ir para cima é preciso colocar em prática novos planos e diretrizes! O terceiro passo você já sabe, mas entendo que às vezes (ou muitas vezes) precisamos de um empurrãozinho. Não perca o “gás” que te alavancou no início do campeonato! Novas oportunidades virão e para você estar bem preparado é preciso se levantar e se dedicar. E agora você sabe exatamente onde precisa caprichar!

Mantenha as estratégias que deram certo e não maquie os erros. Enfrente-os. Admita para você mesmo suas fraquezas e aceite que mudá-las pode ser difícil, porém possível! Procurar ajuda também é essencial. Sozinhos podemos muito, mas com auxílio podemos ver os problemas por outros ângulos e isso pode ser o peso que faltava na balança.


Abraço,
Lucas Horbylon

Humildade no Poker

A falta de humildade no Poker é, sem dúvidas, fatal!

São inúmeros os exemplos de jogadores, famosos ou ordinários, que não conseguiram se manter numa trajetória ascendente por causa da falta dessa virtude.

Poker é uma arte que está em constante mutação e evolução. As técnicas lucrativas hodiernamente podem não ser úteis no futuro. Novos estudos, padrões, softwares, comportamentos e recursos surgem todos os dias para auxiliar os jogadores.

Ademais, o autoconhecimento também necessita de incentivo para se desenvolver. Não nascemos conhecendo a nós mesmos, aliás podemos passar uma vida inteira tentando nos compreender. Aprimorar nossas qualidades e atenuar nossos defeitos demanda trabalho e empenho. No Poker isso é tão importante quanto fortalecer os aspectos técnicos do jogo!

É nesse cenário que a humildade se torna um ponto crucial. Os jogadores que, em algum momento, pensam que já sabem tudo ou que já sabem o suficiente lançam todo esforço e dedicação ao abismo da ignorância.

No Poker um jogador nunca será bom o suficiente, porque isso é simplesmente impossível. O melhor do mundo não é bom o suficiente para deixar de estudar, deixar de se instruir com as novidades técnicas, deixar de se alimentar com as novas tecnologias, deixar de cuidar da mente e do corpo…

Quer ser bom no jogo? Quer se manter bom?

Adapte-se e evolua com o mundo a cada dia, aprenda com os menores, ajude os profissionais que caminham junto com você, admire os atos alheios, empenhe-se sempre e mais na busca pelo conhecimento, seja humilde!

Lucas Horbylon

O Exercício da Gratidão

Semana de Natal: uma movimentação diferente se inicia em todos os cantos, nos comércios e nas casas. Mesmo com as restrições impostas pela pandemia, algo inquietante paira nos corações. Que presente comprar? Que cardápio servir? Que mensagem enviar para aquele amigo querido?

Analisando essa dinâmica nos nossos ambientes próprios podemos ver com clareza que essa época carrega sim uma certa magia. Para outros, o momento é marcado por uma inquietude menos entusiasmada: alguns sentem inclusive melancolia com a chegada das propagandas insistentes, das mensagens forçadas ou da obrigatoriedade de convívio social.

Independente da vertente escolhida (celebrar ou não essa data), a verdade é que o final do ano se torna uma ocasião conveniente para exercermos uma das virtudes que mais contribuem para nossa evolução como seres humanos e como jogadores: a gratidão.

Nós do LineUP somos muito gratos por tudo que se passou em 2020. Pelos desafios que nos fizeram crescer e vislumbrar caminhos a trilhar, por parcerias proveitosas com pessoas e empresas que veem o Poker com a mesma paixão que nós, por amizades construídas no trabalho e que por diversos momentos mostraram uma solidez que não se encontra facilmente, pela evolução incrível dos nossos alunos (time MTT LineUP, LineUP Whatsapp, Atmosfera LineUP e time PLO5) que nos enche de orgulho e nos faz ir adiante e sermos melhores diariamente.

Mais um ano se iniciará e queremos sempre progredir e aperfeiçoar nossos elos e ensinamentos! Com aquela velha máxima de sermos 1% melhor a cada dia!

Nossa maior gratidão é saber que contribuímos para você e para o Poker brasileiro!

Lucas Horbylon

MAIS UM WCOOP NA CONTA!

Chega ao fim mais um WCOOP (Mundial de Poker Online) e muitos – a maior parte, na verdade – perderam durante a série e estão chateados com isso. Mas será mesmo que devemos nos sentir assim ou devemos olhar pelo lado bom?

O fato é que os resultados negativos em séries são muito comuns e isso se dá por diversos fatores: fields maiores (logo, maior variância), maior quantidade de horas jogadas, falta de rotina, jogar buy-ins e fields que não jogamos normalmente, mais jogadores regulares no pano e uma ansiedade acima do normal em relação a grandes resultados.

Essa é uma combinação explosiva tanto para profissionais quanto para jogadores recreativos. Para os profissionais e semiprofissionais, o principal ponto é a frustração de não ter forrado ou não ter ao menos terminado com lucro. Esse sentimento faz com que quase todos questionem se realmente o que estão fazendo é o correto, se as horas dedicadas ao estudo e ao grind estão valendo a pena e se viver do Poker é de fato a decisão certa.

A esses eu digo: não se questionem, e sim pensem que estão cada vez mais perto dos seus objetivos e melhorem ainda mais para a próxima série. Avaliem o que fizeram de bom e de ruim tanto antes quanto durante a série, mantenham o que foi válido e melhorem o que não foi tão proveitoso. Vocês têm 1 ano até o próximo mundial, aproveitem todo esse tempo e se preparem!

A quem é recreativo eu também digo: prepare-se! Prepare-se para jogar aquele torneio que você sempre sonhou em jogar, prepare-se para conseguir jogar de igual para igual com os profissionais, prepare-se para ter bank, prepare-se PARA SE DIVERTIR! Você não está ali para ganhar dinheiro (por mais que queira e seja importante), seu principal foco é se divertir/se realizar jogando Poker. E se a forra vier, será mais que bem-vinda, mas não se cobre por isso!

É incrível como olhar para o lado bom das coisas muda todo o nosso sentimento e nos deixa mais leves e felizes. Procure fazer isso sempre, não só no Poker como também na vida! Parece meio clichê, mas fazendo disso um exercício todas as vezes que as coisas não se saírem do jeito que imaginou, você verá como essa mudança de visão acaba se tornando uma injeção de ânimo para seguir em frente!

E se lembre que nós, Poker players, temos uma chance que muitos não têm na vida: a chance de tentar de novo e melhorar a cada dia, a cada série, a cada mão!

“1% melhor a cada dia” é uma das frases que carrego como mantra, porque ao pensarmos e seguirmos isso, ao longo de um ano estaremos no mínimo 365% melhores do que no ano anterior. Pensem nisso!

Espero que esse texto sirva de inspiração e motivação para cada um de vocês!
Boa semana!

Grande abs e GL nos panos!

Lucas Horbylon

O início avassalador do Phil Ivey Brasileiro

Conversamos com Rodrigo Brito, o jogador que acumula resultados surpreendentes jogando há apenas 1 ano. Confira!

1- Para gente começar a entrevista fale um pouco sobre você, quantos anos tem, onde mora e o que faz atualmente?
Tenho 34 anos, moro no Rio de Janeiro.

2 – Como conheceu o Poker e há quanto tempo joga ?
Eu conheci o poker há um ano atrás em uma situação engraçada. Foi em julho de 2018. Um amigo meu, Leandro Cysne, que jogava poker por hobby, veio um dia em minha casa trazendo um baralho me convidando para jogar. Ele me ensinou as regras, e brincamos em grupo apostando balas “Arcor”.
Esse foi o primeiro contato quem eu tive com o poker. Depois disso, toda semana nós fazíamos uma brincadeira, com R$ 30,00. Eu, ele e Luciano. Em novembro decidi me dedicar integralmente, fui na Leroy, comprei um quadro negro, giz e montei meu cronograma de estudo, passei a estudar mínimo de 5 horas todos os dias e foi quando entrei para o LineUP
WhatsApp
.

3 – Como conheceu o LineUP ?
Eu conheci o Line Up pela internet. Não lembro bem se foi através de algum link, ou através do Instagram do Bruno Foster. Eu vi que tinha uma promoção de três meses e resolvi entrar. Esse foi o meu primeiro contato com o LineUP ! Eu achei interessante, pois eu não tinha essa vivência diária de poker e nem amigos que tinham esses mesmos objetivos que eu tinha. É difícil hoje em dia, você encontrar alguém para estudar com você. Hoje não vivo sem o LineUP WhatsApp, kkkkkkk

4 – Você veio numa onda de resultados fantásticos nos últimos 6 meses, fala pra gente ai quais foram?
O primeiro grande torneio que joguei, foi o 500k do “BPL”. Foi o meu primeiro grande prêmio. Depois disso, fiz FT no ME do JPT “Le Canton”, fiquei em 7º lugar, ganhando algo em torno de R$ 5.000. Daí em diante, as coisas vieram acontecendo. Foi quando eu joguei o primeiro “Torneio do Milhão” da liga Brasil no “PP Poker”. Fiz o “heads up” e resolvemos fazer um acordo ficando com R$165.000.
Na semana seguinte iniciou o “CCTH” que é o evento mais importante do Rio de Janeiro. Tive a felicidade de ser campeão do Main Event e levei R$52.000,00 e logo depois fui campeão do “Main Event” do “Jokers Poker Club” onde levei mais R$12.000,00. E recentemente fiquei em terceiro no Torneio de 1.500,000,00 com acordo entre os 7 na mesa final e puxei mais R$109.000,00.

5 – Realmente fantásticos os resultados! Agora você faz parte do LineUP WhatsApp e do Atmosfera LineUP ? Como avalia a importância de cada um deles na sua evolução? Você se deparou com situações discutidas durante esses torneios?
O LineUP Whatsapp foi muito bom por essa questão. Eu encontrei um grupo onde há muitas pessoas com o objetivo de melhorar o seu jogo. Existem debates diários, não só sobre “mãos”, mas assuntos como “bank roll” , formas de estudo etc…
O LineUP parta mim, sem demagogia nenhuma, foi um “divisor de águas”. Eu lembro que quando eu entrei no LineUP, a primeira mão que eu tive dúvidas, o Chenaud fez a análise da mão cirurgicamente, e me fez entender que a minha jogada foi muito ruim, embora eu tenha levado o “pote”. Foi realmente um divisor de águas eu ter entrado para o LineUP. Tenho apreendido cada vez mais sobre o poker. O “Atmosfera” tem um conteúdo gigantesco de informações, Eu ainda não consegui ver tudo. É uma biblioteca gigantesca! Tem tudo ali para tirar dúvidas.

6 – Você realmente teve uma série de resultados bem rara pra quem joga há tão pouco tempo, o que destacaria que pode ter influenciado nesses resultados tão bons num período tão curto?
Muita dedicação e força de vontade. Tenho vivência diária com o poker, busco sempre melhorar, tenho ciência dos meus defeitos e busco melhorar sempre, nunca serei influenciado por um resultado, seja positivo ou negativo.

7 – Você foi pra Las Vegas agora, esse ano, certo? Como foi sua experiência por lá?
A minha experiência em Las Vegas foi maravilhosa! Para mim, foi como se eu estivesse na Disney – risos. Fui recepcionado pelo Chenaud. Ficamos no mesmo apartamento. Ele é um jogador excepcional e experiente.
Depois, fui para o salão e encontrei Bruno Foster, Giordano, Sabioni, Cavalito e Hugo Marcelo etc, todos na mesma sintonia com uma humildade gigantesca! Isso foi o que mais me impressionou. A humildade desses caras é sensacional! Eles querem ajudar de alguma forma. É muito bacana!

8 – Muita gente diz que você é parecido com o Phil Ivey, como foi isso em Vegas ? kkkkkk
O engraçado, é que em todas as mesas, eu era chamado de Phil Ivey – risos. Os americanos gostam muito do Phil Ivey.
Em todas as mesas em que eu entrava, eu chegava com cara de mau. Mas, era só eu puxar o primeiro “pote”, que começavam as brincadeiras: “ aaaa Phil Ivey” – risos. Aí, eu tirava aquela mascara de jogador mau e começava a rir. Já quebrava o gelo.
Outra coisa que eu achei sensacional em Las Vegas, é que lá, eles conversam muito nas mesas. Pode estar rolando aquela “meta game”, que aconteceu em uma mesa que eu estava no “Monster Stack”, em que dois jogadores estavam nivelados no level cinco, jogo pesado, só dava os dois na mesa. E eles estavam conversando, como se fossem melhores amigos. Em nenhum momento rolou um desentendimento entre eles. Eles brincavam o tempo todo. Achei isso sensacional!

9 – Deixe um recado pra quem está começando ou pensando em começar na caminhada do Poker
A mensagem final que eu deixo, para quem está nessa luta, para quem está começando no poker, é, em primeiro lugar, fazer aulas. Isso encurta o caminho! Mas o essencial mesmo é você ter dedicação! Se esforçar! Se você não se sacrificar, esqueça! Você não vai chegar a lugar nenhum. Ou, não vai chegar aonde à maioria chega.
Eu costumo dizer que quando você faz determinada coisa, e essa coisa é tão difícil, que em determinado momento você pensa em desistir, é a prova que você já chegou aonde muita gente não chegou. Ao invés de pensar em desistir, é onde você tem que “dar o gás”, para atravessar essa porta! Enquanto outros estão descansando ou desistindo, é a hora de você “dar o gás”! Se você estuda duas horas por dia, é hora de estudar quatro, cinco horas, seis horas por dia. É a hora de superar os obstáculos! Os resultados vão vir de forma gigantesca. Essa é a grande dica que eu deixo para quem está começando. Na verdade, é uma dica para a vida, para qualquer esporte. E mais ainda para o poker, porque o poker não depende só de nós. Às vezes nós tomamos as decisões corretas, mas as cartas não vêm. É bom ressaltar, que além dos vídeos, os livros são importantes. Eu já li, acredito que oito livros sobre poker. Muita gente diz que não vale à pena ler livros, que eles estão defasados. Eu acho que a essência e o conceito são fundamentais. Cabe a pessoa perceber o que está defasado e nunca seguir a risca o que está no livro. O importante é entender os conceitos. Isso melhorou muito a minha “jogabilidade”.


Vlw Phil Ivey, ops Rodrigo! Grande abraço e boa sorte nos estudos!

Para saber mais sobre os produtos LineUP, clique aqui e fale com a gente pelo WhatsApp!

O Mito do Longo Prazo

O longo prazo é uma das expressões mais utilizadas no poker, seja por aqueles que têm uma boa noção do que ela significa, seja por jogadores ainda inexperientes, que fazem pouca ou nenhuma ideia do que estão dizendo.

É muito comum jogadores recém chegados ao meio ou que acabaram de ganhar auto-estima como jogador, repetirem termos e práticas de jogadores já consagrados. Talvez seja esse o motivo de tanto escutarmos a expressão “o longo prazo chegou’. Será que chegou mesmo?

O longo prazo é um estado ideal, uma utopia, a nossa sombra quando caminhamos na praia em um dia de sol. Não iremos jamais alcançá-lo! Mas como toda utopia ele presta um serviço incrível: ser uma diretriz, um guia para nossas decisões, um alvo para mirarmos com afinco.

O longo prazo serve para descrever o momento em que a matemática opera de forma perfeita e isso acontece apenas quando ela tende ao infinito. Contudo, jamais jogaremos um número infinito de torneios, portanto o longo prazo é um mito, já que não pode se concretizar.

Quando jogamos um torneio de poker, estamos trabalhando basicamente com a sorte. Pode parecer triste essa declaração, mas é exatamente dessa forma que vejo. No entanto, à medida que jogamos mais torneios e nos aproximamos do infinito, a sorte vai sendo gradativamente diluída, mas ela nunca chega a zero.

Imaginem o Barcelona jogando contra o União São João de Araras. Um massacre não é mesmo? Agora, pensem num cenário em que eles jogam apenas uma partida de 5 minutos. Seria um jogo bem mais equilibrado, acabando em empate a maioria das vezes, não é verdade? Agora, visualizem um cenário em que eles jogam 30.000 partidas de 5 minutos. Fica claro que o Barcelona vai ganhar mais vezes que o União, apesar de a maioria dos jogos terminar em empate. Essa é a lógica dos torneios de poker.

Não caiam na cilada de ficar repetindo isso ou aquilo que dizem por aí só porque foi dito por alguém que você respeita e admira. Formule suas convicções a partir dos fatos que você consegue identificar. Isso faz toda a diferença em qualquer coisa que você faça em sua vida.
Não estou dizendo que fulano ou ciclano não sabe o que é o longo prazo, mas posso afirmar que muita gente, que trata do assunto nos breaks de torneios, Brasil a fora, não faz a menor ideia do que está falando. Eles são meros repetidores de ideias alheias e isso não lhes presta nenhum serviço.

Falar desse assunto, me fez relembrar de uma frase que os jogadores consagrados do Live, falavam para jogadores do online, quando ainda havia uma rixa entre eles: “eu quero ver quem sobreviverá ao teste do tempo”, sendo este, a meu ver, o maior indicador de sucesso de um grande jogador, justamente pelo fato de sua amostragem de jogos aproximar-se do infinito, além das inúmeras experiências e testes que o passar dos anos nos coloca à prova.

Hoje essa rivalidade não existe mais ou perdeu quase que toda sua força, já que os jogadores do online dominaram também o cenário Live e fizeram a velha guarda se render, mas esse seria um assunto para outro post.
Nos vemos no pano!

Abraços,

Chenaud.

#PokerNossaVida

Já pensou em desistir?

Essa semana um aluno do LineUP WhatsApp falou que iria desistir do poker, que já não aguentava mais, que a trajetória estava sendo muito sofrida e ele parecia não caminhar rumo aos seus objetivos etc

Imediatamente, me veio à mente todas as vezes que eu havia pensado em desistir. Como num estalar de dedos, vários episódios passaram como um filme na minha cabeça e eu lembrei que havia pensado em desistir do poker um milhão de vezes.

Ficou claro para mim algo que, até então, não estava: quanto mais a gente pensa em desistir, mais a gente se aproxima do lugar aonde quer chegar.

Eu, com certeza, pensei seriamente em desistir um número de vezes bem maior do que aquele meu aluno. O João Simão, maior jogador que o Poker brasileiro produziu até hoje, pensou em desistir dez milhões de vezes e eu estive ao seu lado em algumas delas, por isso me veio à lembrança.

No final das contas, quanto mais alto o lugar que você se encontra, mais vezes você pensou em desistir; mais frequentemente se deparou com aquele sentimento angustiante de impotência, que nos toma por inteiro nessas horas; viu suas energias esgotadas a ponto de acreditar que não aguentaria dar nem mais um passo rumo aos seus sonhos.

Fiquei com vontade de escrever isso, sobretudo por dois motivos.

O primeiro deles é glorificar aqueles que estão no topo de suas atividades. Quem não vive a batalha de viver um sonho, no fundo, não sabe o que essas pessoas passaram e passam(não acaba nunca). Não tem como saber, quando não se vive aquilo. A especulação é sempre imprecisa. É mais fácil acreditar que elas têm talento, que têm sorte, que a vida foi generosa com elas. Não foi!

Esses caras comeram o pão que o diabo amassou por anos a fio, abrindo mão de inúmeras coisas, brigando com os seus fantasmas, dizendo não para o caminho mais cômodo- dar um passo atrás e recuar para fazer algo aparentemente mais seguro. Essa falsa ideia de segurança cobra um preço muito caro, sem contar que o caminho para atingir excelência em qualquer área passa por isso. Você abandona o poker hoje e vai viver exatamente a mesma coisa em outro segmento. Em suma, ou você se conforma com a mediocridade ou invariavelmente vai ter que desbravar esse caminho de muito sangue e suor.

O segundo motivo para eu escrever esse texto é encorajar aqueles que estão vivendo esse momento. Você está no caminho certo irmão! Se você não pensa em desistir, não está trabalhando no limite e consequentemente está longe dos seus objetivos. Ninguém aguenta operar no limite o tempo todo, mas é fundamental que siga trabalhando, mesmo nos momentos mais difíceis, ainda que apenas com 60% da sua capacidade. Uma hora as respostas aparecem, a percepção dos cenários fica mais clara, as decisões melhores e os nossos sonhos mais perto.

Mantenha-se firme nos trilhos e viva a plenitude da vida! Essa é a minha batalha e dela eu não abro mão.
Já pensou se o João Simão tivesse desistido? Quanta coisa maravilhosa ele teria deixado de viver.
Quantos João Simão o mundo perde todos os dias?
Será que você não é um deles?

Essa resposta a gente só tem lutando e não é em um ano ou dois que ela aparece.
O João pensava em desistir quando todo mundo já falava que ele era gênio. Quando ele já ganhava valores significativos e já jogava bem caro. Já era campeão do WCOOP, inclusive. Falo isso para vcs não acharem que o cara pensa em desistir quando não conquistou nada. Mentira! O cara pensa em desistir quando a realidade não corresponde às suas expectativas. Os grandes, no entanto, encontram um jeito de seguir adiante e tem as maiores expectativas, logo os maiores desafios,do contrário não seriam grandes.

O poker me ensinou isso e já há algum tempo não penso mais em desistir. Entendi o caminho e toda vez que a vida parece puxar o meu tapete, eu bato forte no peito e digo- vou me entregar mais.

Quer subir ao céu? Esteja preparado para, antes disso, descer ao inferno muitas vezes. Muitas mesmo!

Fiquem com Deus, tenham fé em vocês, na existência e sejam fortes para seguir em frente. Essa é a única exigência para o sucesso. Fazendo isso, os caminhos se abrem de uma forma ou de outra, mas não será rápido. Pode levar dez, vinte, trinta anos, que seja… mas se você ainda estiver lá, a vida uma hora há de se render e proporcionar aquilo que você tanto lutou para alcançar.

Abraços,
Chenaud.

#PokerNossaVida